quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Bebê a bordo

Porcos e pérolas
E o nada seduz
Tela em branco
Pintada e apagada

Na memória do mundo
Nada se apaga
E as estrelas brilham
Mesmo mortas

O tempo é um rio
Carrega vida e veneno
Crescem rosas
Espinhos e pétalas

Assisto a vida
Espelhos e cortinas
Carrossel de ilusões
Girando, girando

Um comentário:

Anônimo disse...

entre porcos e feridos, ainda sentimentos o oxigênio!