quinta-feira, 24 de junho de 2010

Microondas

Cobrava explicações
Coerentes

Daquela noite branca

Nada restou na manga
Nenhum coelho na cartola
Enquanto rostos cansados
Dormiam tranquilos

No coração da tarde

Sonhavam
Voavam
Viviam

Essas pessoas espertas seguras convincentes
Ou simplesmente
À altura
De uma metralhadora

Nuvens de som
Se formavam num céu instável
Contra um azul perfeito
Da cor do amanhã

O inverno era opaco e precipitado
No entanto era terça dia de pagar
A luz
E as horas eram horríveis

Ariel Pádua

“Ou, se preferirem, há emoção quando o mundo dos utensílios desaparece bruscamente e o mundo mágico aparece em seu lugar.”

Jean-Paul Sartre

Um comentário:

pedro de sá disse...

gostei do novo look do blog. que tem feito, fio? sumiste.